Miss Can
— desde 2013 —

O negócio surgiu em 2013 dentro do castelo de São Jorge, através de uma banca ambulante montada numa Ape 50 da Piaggio, restaurada para revitalizar os seus 21 anos de funcionamento. O amarelo garrido da sua pintura espelha a personalidade vibrante e calor humano das mentes por trás da Miss Can: Tiago Ribeiro, Bárbara Cabral e Marta Fernandes. Tiago e Bárbara, irmãos gémeos, são netos de Luís Soares Ribeiro, proprietário, a partir de 1911, de duas fábricas de conservas. Marta é bisneta de João Rodrigues, armazenista e distribuidor da primeira fábrica de conservas portuguesa.

Os três sócios são unidos não apenas por este passado, mas também pelo amor à tradição, convivência e história portuguesa. Decidiram, portanto, imortalizar o método tradicional de Luís Ribeiro, em que o peixe é cozido a vapor antes de ser enlatado, mas com um toque de originalidade através de um conceito de packs. Cada um tem atum, sardinha e cavala, com temperos para diferentes apetites: Traditional em azeite, Brave com tomate, Hot com picante e Creative com picante e pickles. Mas também há um pack dedicado ao bacalhau – o pack Patriot.

A Miss Can foi a figura imaginada para representar a marca. A sua personalidade é representada por cada tempero e esta moça conta pedacinhos da história portuguesa e curiosidades variadas na jovial embalagem de cada pack. A marca foi reconhecida, tanto a nível conceptual como no volume de vendas. Em 2015, ganharam o prémio nacional das indústrias criativas, entre mais de 200 participantes. Ainda no mesmo ano, a marca ganha o Arla Food Innovation Challenge no Creative Business Cup em Copenhaga. Tiago, Bárbara e Marta fizeram o percurso até Copenhaga com a simpática motoreta amarela, tão característica do negócio, parando em várias comunidades portuguesas por essa Europa fora e demonstrando desta forma, os genuínos valores de convivência e proximidade que o conceito de negócio defendia.

A Miss Can, com pontos de revenda espalhados tanto nacional como internacionalmente, cresceu de tal maneira, que os três empreendedores resolveram abrir uma petisqueira bem no centro de Lisboa mesmo a chegar ao Castelo de São Jorge - Largo do Contador Mor, nº 17. No estabelecimento é possível degustar pratos tradicionais, petiscos e bom vinho, acompanhados da salutar convivência portuguesa. E para os pratos que não constam da ementa, por vezes também se dá um jeito, como a seguinte história relata: uma sra. da República checa que visitava a Miss Can perguntou pelo famoso cozido à portuguesa e Tiago tentou recomendar alguns restaurantes. Por constrangimentos de tempo a sra. e a sua família não podiam ir a nenhum deles e Tiago acabou por convidá-los para um almoço de cozido à portuguesa 'lá em casa'.

A Miss Can é uma marca em crescimento, com vontade de dar a conhecer os seus produtos portugueses ao resto do mundo. E, aparentemente, o mundo também os quer conhecer. Que o digam aquelas pessoas que têm a Miss Can na lista de locais obrigatórios a visitar em Lisboa.
 
Miss Can

 

2018-09-28T12:01:49+00:00