Luvaria Ulisses
— desde 1925 —

A Luvaria Ulisses, situada em Lisboa, começou a sua existência de forma quase incidental. Em 1920, Joaquim Rodrigues Simões, vereador da câmara de Lisboa, submete a proposta de construção de algumas lojas na denominada muralha do Carmo. A proposta foi aceite e pouco tempo depois em 1925, Joaquim optou por inaugurar no rés-do-chão do nº 87-A a Luvaria Ulisses, cujo nome é um tributo a Ulisses, suposto fundador de Lisboa.

Artur Mendes e Augusto Costa, pela sua antiguidade, dedicação e anos de experiência, foram os principais responsáveis por edificar um negócio que acabou por se tornar num marco lisboeta. Hoje em dia, é Carlos Carvalho quem conduz a tocha da tradição e de facto, feita uma retrospectiva, tradição é a palavra que melhor caracteriza este negócio quase centenário.

Com fabricação própria, todo o processo de manufatura tem-se mantido inalterado desde a sua fundação. Os fornecedores de matéria-prima são preferencialmente portugueses, uma vez que são os únicos capazes de fornecer a pele com as características necessárias à qualidade exigida.

Os móveis sólidos e harmoniosos, construídos a mando de Joaquim, continuam a ser os mesmos, as antigas máquinas de costura que se encarregam da produção de luvas, permanecem em impecável funcionamento, sem fim à vista do seu labor, em função das especificidades do processo… Igual é também o decoro e aprumo que a loja sempre teve, seja para com o próprio espaço, seja para com os seus clientes. O atendimento altamente personalizado e meticuloso é o mesmo que encantava as gentes de outros tempos, numa rua do Carmo a transbordar de transeuntes, em que as senhoras faziam questão de usar luvas de Inverno e de Verão. De facto, explorar o pequenino interior da Luvaria Ulisses assemelha-se a uma viagem inédita, num espaço que conseguiu como que por magia, dar pausa ao incontornável tempo.

A mudança é, porém, a constante da vida e a Luvaria também a sentiu. Antigamente, este tipo de loja era bastante comum, hoje em dia, só a Ulisses perdura na sua forma mais pura, sendo que muitas foram comercializando outro tipo de artigos para sobreviver. O público inicial, tipicamente lisboeta, foi-se transformando numa mescla de turistas e vários admiradores da intemporalidade da casa. Carlos Carvalho soube também fazer-se valer das novas realidades: qualquer reportagem ou burburinho nas redes sociais resulta de um aumento significativo de vendas. Só não opta pelo comércio electrónico por achar que não vai de encontro ao Modus Operandi do seu negócio. Convenhamos: as compras online são cómodas, mas incapazes de suscitar o tipo de experiência que uma luva, cuidadosamente aberta e polvilhada com pó talco, calçada por mãos experientes, pode suscitar. Este é o cuidado de quem procura sempre o par ideal para cada cliente!  
Luvaria Ulisses

 

2018-07-13T10:35:33+00:00