JOALHARIA DO CARMO
— desde 1924 —

Desde sempre associadas ao requinte e à elegância, as peças criadas em ouro e prata espelham o espírito de cada era, portadoras de qualidade e tradição. Na rua do Carmo nº 87B, encontramos uma joalharia muito especial, capaz de satisfazer os mais exigentes caprichos com a sua vasta e deslumbrante colecção. Para falar um pouco deste quase centenário negócio, encontrámo-nos com o proprietário, Alberto Sampaio, que trabalha na joalharia há mais de 52 anos. Segundo ele, quem gere um negócio é quem melhor o conhece. O Alberto mantém um papel activo na gestão e orientação da empresa, estando sempre atento à criação e produção de peças para a sua casa. Aliás, esta atitude determinada esteve presente desde que assumiu a Joalharia do Carmo como sua.

Em 1924 foi constituída a Joalharia do Carmo Lda., que formou a sociedade de Alfredo Pinto da Cunha com o irmão, Gabriel Pinto da Cunha e o cunhado, Alberto Vieira de Sampaio.
Mais tarde Alberto (o filho), integra o quadro de sócios ao receber algumas cotas cedidas pelo pai. Os bons resultados da loja incentivaram-no a adquirir cada vez mais cotas até ser sócio unitário, algo que via como essencial para a boa gestão do negócio.

O sucesso da loja perdura até aos dias de hoje, com os eventuais altos e baixos. Hoje em dia, alguns consumidores dão preferência a artigos tecnológicos de alta gama, a que Alberto contrapõe com a exclusividade das obras expostas no seu estabelecimento. Esta é uma joalharia que privilegia a comercialização de peças portuguesas, trabalhadas à mão, com desenho e produção supervisionada pelo próprio Alberto. A filigrana é especialmente procurada por quem quer levar para casa uma recordação de Portugal. Porém, as mercadorias não constituem o único atrativo da loja. A imponente fachada Art Déco, da autoria do arquitecto Manuel Norte Júnior, revela rapidamente a qualquer transeunte que estão na presença de uma casa com história e tradição, classificada como loja histórica pela câmara de Lisboa. Conhecer a joalharia do Carmo é uma experiência singular, uma visita ao passado imortalizado em móveis de mogno e candeeiros de cristal, desde a inauguração em 1924.

Apesar do Sr. Alberto reconhecer a evolução do mundo actual com a emergência de novas tendências de consumo, ancoradas em dispositivos móveis e novas tecnologias, mantém-se no entanto fiel à traça e filosofia original da casa, tão pertinente e permanente como o era desde a sua fundação. Até porque ao contrário da tecnologia, as obras expostas na joalharia do Carmo estão sempre atualizadas, fiéis guardiãs à milenar arte da ourivesaria e de beleza intemporal.  
Joalharia do Carmo

 

2018-04-16T10:54:25+00:00