Penta Café
— desde 2004 —

No 117 da Rua do Ouro bebe-se ao litro e come-se a metro. O Café Penta de Ana Paula Lima e Luís Martins tem um cardápio sui generis, recitado à brava voz portuguesa com os comes e bebes dignos de um viajante em terras gulliverianas, ou não fossem as bem escaladas tostas de um metro, os bolos de dois, ou ainda as gargantuais Bolas de Berlim de um quilo.

Quem passa pela baixa pode descobrir no Café Penta a maior variedade de tostas mistas, vendidas ao metro, com ou sem salada, com pasta de atum, frango ou delícias do mar, ou para os mais ousados a sublime tosta de frango e farinheira, as bem portuguesas tosta de alheira, de morcela de arroz ou vitela picada, e claro está, como não poderia deixar de ser a tosta de bacalhau. Finalmente, para acompanhar, os sumos a litro, de fruta natural, descascada, partida e feita no momento, com apenas dois sabores por copo, sem adição de água ou açúcar.

O Café Penta foi fundado em 2004, no ano em que Portugal se sagrou Vice-campeão Europeu. Os seus fundadores voltavam de uma longa estadia em Itália, com uma larga experiência hoteleira, ideias inovadoras e um sonho que atravessaria a via láctea, tal uma estrela cadente, de cinco pontas e a dose certa de sorte, num caminho que já se adivinhava de grande sucesso.

E foi assim que surgiu o nome Penta, com cinco vértices e uma forte relação com a boa estrela à qual se juntou a excelência do atendimento e qualidade gastronómica com o conceito de comida a metro e bebida ao litro.  Uma receita vencedora patente na popularidade da casa e nas caras bem conhecidas da televisão que não perdem a oportunidade de festejar com bolo a metro, da Rua do Ouro para as suas casas, carregadas por uma dúzia de mãos em jeito de procissão.

VISITE A LOJA
2017-11-16T05:01:22+00:00